O que fazer hoje para ser mais sustentável amanhã

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Já falamos nesse blog sobre consumo consciente, sobre cidadania e sobre a importância e o impacto das nossas ações na sociedade. Mas a pergunta é: “então, como fazer diferente?”

Não existe uma fórmula mágica, nem uma cartilha milagrosa de práticas sustentáveis que nos farão transformar o mundo a nossa volta: cada um lugar é formado por histórias, pessoas e características ecológicas diferentes, que leva a diferentes problemas ambientais e consequentemente diferentes respostas. Mas talvez possamos dar algumas dicas sobre como prosseguir e para onde olhar.

A começar, os serviços em larga escala quase sempre trarão consigo maiores impactos ambientais. Diminuir nossa dependência por esses serviços pode aliviar a pressão sobre eles ao passo que nos garante um maior controle sobre os impactos de nossas ações. Um exemplo disso são os serviços de coleta de lixo e a forma como nós tratamos nossos resíduos.

Seja responsável pelos seus próprios resíduos

Os famosos “lixões” são o exemplo mais repugnante de como nosso consumo desenfreado traz prejuízos ao meio ambiente. As enormes quantidades de lixo que os serviços públicos de coleta têm de lidar agravam em muito esse problema, pois a velocidade com que produzimos resíduos é muito maior do que conseguimos descartar de maneira adequada.

Ou seja, esse problema é tanto menor quanto mais gente se responsabilizar pelos próprios resíduos e isso inclui diminuir nossa produção de lixo, separação adequada e reutilização sempre que possível.

Podemos dividir nossos resíduos em orgânicos, inorgânicos e recicláveis, e cada tipo merece um tratamento especial.

Resíduos recicláveis

Os resíduos recicláveis, tais quais o papel, o vidro e o plástico, podem ser reutilizados se passados pelo processo correto e isso pode reduzir significativamente a produção e extração de novos materiais, por isso é muito importante fazer com que nosso material reciclável encontre o destino certo.

Separe seu lixo reciclável por tipo de material e descarte-o em pontos de coleta seletiva, ou procure coletores que buscarão na sua casa. Descartar material reciclável junto com o lixo orgânico é um desperdício de material.

Alguns desses processos de reciclagem pode ser feitos em casa, como é o caso da reciclagem de papel e é uma experiência muito rica e educativa para se fazer com crianças, praticando com elas uma conscientização ambiental de maneira lúdica!

Outra dica é buscar dar uma nova utilidade a esses materiais. Garrafas PET por exemplo podem se transformar em ótimos vasos de plantas e caixinhas de leite em isolante térmico para animais de estimação.

Resíduos inorgânicos

São todos os materiais de ordem não orgânica, ou seja, não produzidos pela natureza, mas pelo ser humano. Para esclarecer: os resíduos recicláveis que falamos anteriormente também são inorgânicos! Entretanto, estamos fazendo essa diferenciação para bem definir dois tipos diferentes de resíduos orgânicos: os recicláveis e os não recicláveis.

Nem todo material inorgânico pode ser reciclado, o que se transforma em um grande problema para o meio ambiente, uma vez que esses resíduos demandam um tempo enorme para se decomporem na natureza. É o caso por exemplo do isopor.

Pois é, ao contrário do que muitas pessoas pensam, isopor não é reciclável e sua decomposição na natureza é estimado em 150 anos!

CURIOSIDADE: O isopor foi desenvolvido por pesquisadores alemães em 1949, isso quer dizer que todo o isopor descartado irregularmente na natureza ainda está lá, em forma de poluição.

Para esses resíduos inorgânicos não recicláveis, o melhor a se fazer é evitar ao máximo sua utilização e buscar novas utilidades após o uso para evitar o descarte na natureza.

Resíduos orgânicos

Resíduos orgânicos, ou o que popularmente chamamos de “restos de comida”, são uma rica fonte de nutrientes que abastecem nosso solo e enriquecem nossa agricultura. No entanto, descartados de maneira incorreta podem causar desequilíbrios que são prejudiciais à natureza.

Uma grande concentração de matéria orgânica em uma certa área pode alterar o pH do solo e fazer com que nada mais cresça naquela terra por exemplo. Corre-se também o risco de contaminação do lençol freático e dessa forma das nossas fontes de água.

No entanto, a riqueza dos resíduos orgânicos pode ser aproveitada por todos nós, em nossas casas, de maneiras muito simples. O principal modo de dar utilidade a esses resíduos é através de técnicas de compostagem, transformando-os em um rico substrato para nossas hortas e jardins!

E não pense que isso é possível apenas para pessoas com grandes quintais em suas casas! A criação de hortas verticais e jardins suspensos em apartamentos têm se transformado em verdadeiras tendências modernas e são ótimas soluções para quem deseja ser mais sustentável mesmo em pequenos espaços. A compostagem demanda muito pouco espaço e, se feita em compartimentos fechados, não deixará nenhum odor indesejado dentro da sua casa.

Seja um consumidor consciente

Consumir é um ato político. Quando escolhemos como vamos gastar nosso dinheiro, escolhemos também que tipo de atividade vamos financiar e ajudar a perpetuar. É muito importante que tenhamos isso em mente cada vez que compramos algo.

Já discutimos aqui sobre alimentos orgânicos e como eles são produzidos, respeitando o meio ambiente e promovendo o desenvolvimento cultural, social e econômico a nível regional. Quando compramos nosso alimento de produtores orgânicos, além de prezarmos pela nossa saúde, estamos também contribuindo para que aquele agricultor continue trabalhando de maneira sustentável com mínimo impacto sobre a natureza.

Diferentemente de quando compramos das grandes redes de produtos alimentícios, que quase sempre utilizam agrotóxicos que são nocivos à saúde humana e ao meio ambiente, contaminando rios e solos. Essas empresas cultivam alimentos em grandes latifúndios monocultores e contribuem diretamente para o desmatamento do território.

Fazer a escolha de reduzir o consumo de produtos industrializados, cujas embalagens produzem lixos desnecessários também pode ser uma ótima opção, além de optar por produtos de embalagens biodegradáveis.

Conscientize um amigo

Nossas atitudes podem parecer pequenas para o tamanho do problema e essa é a hora de trazer mais gente para ajudar. É muito importante discutir em nossa casa e em nossa comunidade sobre os impactos socioambientais de nossas ações e assim conscientizar mais gente para se juntar a nós nessa empreitada.

Não precisamos mudar a forma como a sociedade toda pensa e age, basta que conscientizemos uma única pessoa. E essa pessoa conscientize mais uma. E essa terceira mais uma. E então poderemos ver a mudança acontecendo de verdade.

Faça o que estiver ao seu alcance

Essas dicas que acabamos de dar são simples e um grande passo para um estilo de vida mais sustentável! Mostramos que um pouquinho de cuidado e atenção no cotidiano podem gerar práticas muito mais saudáveis ao meio ambiente e a nós mesmos, sem demandar um grande esforço.

Entretanto, sabemos que nem sempre é possível fazer as escolhas mais benéficas pro meio ambiente e isso esbarra em dificuldades particulares de cada pessoa. Nem sempre temos dinheiro para comprar o produto ecologicamente correto, tempo para reciclar papel ou espaço para cultivar a própria horta.

O importante é que isso não te faça desanimar e abrir mão das atitudes que você pode sim tomar! O fundamental é ter em mente que as pequenas coisas importam. O que fazemos em nossa vida pode parecer pouco, mas quanto mais gente embarcar conosco nessa missão, maior fica nossa contribuição para o mundo que queremos para o futuro.

E você, conhece alguma outra dica de hábitos sustentáveis que podemos adotar no dia a dia? Conta pra gente nos comentários!

Encontre no Pira Eco

Procurar por ...

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Sobre o autor

Victor Marchesin Corrêa

Victor Marchesin Corrêa

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Mais Artigos

    Anuncie seu Negócio GRATUITAMENTE

    Reivindicação de Anúncio