Cidadania, meio ambiente e o nosso futuro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Nosso planeta Terra

Escutamos falar sobre protocolo de Kyoto e acordo de Paris, sobre aquecimento global e derretimento das calotas polares. Sobre queimadas e desmatamento na Amazônia. Escutamos falar que o nosso planeta precisa de ajuda. Mas se o tempo todo escutamos o chamado, por que é que não o atendemos?

Para respondermos essa pergunta é muito importante refletirmos sobre o que é cidadania, e o que ela tem a ver com isso tudo.

Um conceito em evolução

A ideia de cidadania surgiu muito tempo atrás nas antigas cidades-estado gregas, mas é importante que fique claro que ela é um conceito em evolução, e tem mudado desde então. A forma mais simples e didática de definirmos hoje o que ela significa é a prática dos direitos e deveres dos cidadãos dentro de uma sociedade.

Isso porque viver em sociedade dá trabalho, mas também é imprescindível. Se não podemos viver em um estado de guerra permanente de todos contra todos – e, convenhamos, com certeza não podemos – é preciso que encontremos a melhor a forma de convivermos em harmonia.

Ser cidadão é inserir-se na sociedade, desfrutar dela e também contribuir a ela. E a ideia de “cidadão” tem mudado com o tempo, de fato. Aristóteles, na Grécia Antiga, já nos dizia que o homem é um animal político, pois não pode não viver em sociedade. E se é um animal político, tudo o que faz também é político. Mais tarde, já na aurora da Revolução Francesa, filósofos como John Locke e Voltaire trouxeram ao mundo a ideia de que o ser humano era dotado de direitos naturais invioláveis, que deveriam ser defendidos a qualquer custo na vida em sociedade. Surgia as bases do Estado de Direito e a noção que temos hoje de cidadania.

Portanto ser cidadão é ter direitos, que são garantidos pelo Estado e pela Constituição. Mas é também ter deveres, e cuidar para jamais desrespeitar o direito dos outros.

Mas te convido a ir além nesta reflexão sobre cidadania.

Tudo o que fazemos é político

Se Aristóteles já nos dizia que somos um animal político, também o que fazemos é político. E o que isso significa?

Significa que todas as nossas ações têm impacto na sociedade e a influenciam, para o mal ou para o bem. Mais do que respeitar o direito alheio ou ter seu direito respeitado, a forma como vivemos e como atuamos em nossa sociedade contribui para criarmos o tipo de sociedade que queremos. Essa é a grande beleza de ser cidadão, uma ideia mais ampla de cidadania: ser cidadão é inserir-se ativamente na vida pública e ajudar a construir a sociedade que queremos.

 

Encontre no Pira Eco

Procurar por ...

 

Como nossa vida faz bem, ou mal, ao meio ambiente

Sabemos que nosso modo de vida, desde a forma como praticamos a agricultura até a forma como descartamos nosso lixo, coloca em risco o meio ambiente e contribui para a agravar a crise ambiental que temos vivido. E todos nós, enquanto cidadãos, somos responsáveis por isso.

Somos responsáveis pelo problema e também pela solução. Enquanto cidadãos, a pergunta que devemos nos fazer todos os dias é: “o que eu posso fazer hoje para ajudar o meio ambiente?”.

Reciclar, descartar corretamente nossos resíduos, reutilizar. Consumir com consciência e prestar atenção em que tipo de prática nosso dinheiro financia. Discutir e conscientizar nossos amigos, nossas famílias e nossos vizinhos. Isso tudo faz parte de um modo de vida mais sustentável, de construir uma sociedade que viva em harmonia com o meio ambiente e que dele retire o que precisa e devolva a ele tudo o que consegue.

Todos sabemos que não mudaremos o mundo sozinhos, isso faz parte de deixar para trás o doce sabor da infância. Mas podemos (e devemos, pois somos cidadãos!) mudar o mundo à nossa volta, aquele que está ao nosso alcance.

Podemos criar hábitos mais saudáveis e diminuir nossos impactos no meio ambiente. Podemos importar a ideia de cuidado e então cuidar – de nós mesmos, das pessoas à nossa volta, do nosso planeta e do nosso futuro.

E agora você deve estar se perguntando “Mas na prática, como podemos fazer essa mudança?”. E eu te respondo: isso é assunto para o nosso próximo texto.

Enquanto isso, que tal dar uma olhada nas alternativas que estão sendo construídas aqui em Piracicaba? Nós separamos pra você!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

Sobre o autor

Victor Marchesin Corrêa

Victor Marchesin Corrêa

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Mais Artigos

    Anuncie seu Negócio GRATUITAMENTE

    Reivindicação de Anúncio